Publicado por Ing Blue - domingo, 20 de maio de 2018 on maio 20, 2018

Hola, personas! Yo soy Ing Blue e sejam bienvenidos ao meu blog 💙

Hoje trago um poema que fiz sobre me nos sentirmos sozinho mesmo quando teoricamente estamos rodeados de amigos e pessoas queridas. 




Eu Me Sinto Sozinha - Ing Blue 

Eu me sinto sozinha,
talvez a culpa seja minha.
Eu não demonstro emoção,
eu não consigo abrir o meu coração.
Eu me sinto sozinha,
mesmo sabendo que que não estou.
Eu me sinto sozinha,
e não sei como lidar com a minha dor. 

Publicado por Ing Blue - quarta-feira, 2 de maio de 2018 on maio 02, 2018 - 1 comentários

Hola, personas! Yo soy Ing Blue e sejam bienvenidos ao meu blog 💙

Finalmente depois de um longo tempo, resolvi criar vergonha e atualizei o canal. 

Como todos devem terem percebido eu sou tipo muito fã de Supernatural e para quem é fã da série, hoje é uma data muito especial porque um dos protagonistas da série, o Sam Winchester está completando 35 anos e eu não poderia vir aqui e deixar de fazer uma homenagem para esse personagem que tem nos ensinados tantas coisas. 




Samuel Campbell Winchester, ou simplesmente Sam Winchester, nasceu em 2 de maio de 1983.  Sim. dá para acreditar que nosso bebê gigante está completando 35 anos hoje? 
Quem acompanha Supernatural sabe o quanto Sam cresceu na série (e eu naõ estu falando apenas fisicamente porque isso é evidente), mas estou falando de forma emocional, como pessoa (vamos esquecer por um momento que Sam é um personagem e vamos trata-lo como pessoal real). O rapaz teve a sua vida amaldiçoada antes mesmo de se quer pensar em nascer (eu não vou dar spoiler porque vai que tem alguém de Marte lendo esse post e ainda não conhecça a série), mas o que eu estou tentando dizer, é que Sam passou por muitas coisas boas e ruis (a maioria ruim porque tadinho, parece que Chuck fez esse menino para sofrer), mas o que mais me admira nesse personagem (além do cabelo lindo, brilhante e sedosos) é que apesar de sua vida ser uma merda, ele ainda tem fé. Ele ainda consegue sonhar com uma vida normal, ele ainda consegue acreditar que tudo  vai ficar melhor. Confesso que eu não sei se teria a mesma atitude se tivesse passados 1% das coisas que ele e Dean passaram na série. Mas Sam acredita, e apesar de já ter errado várias vezes na série, o moreno aprendeu com os seus erros e essa é outra coisa que me faz ama-lo tanto. 
Se tem uma coisa que Sam Winchester me ensinou é que todos erramos, todos vamos magoar pessoas queridas, vamos fazer escolhadas errados ... Nós somos humanos e estamos em um periodo frequente de evolução. Mas apesar das várias merdas que fizemos e ainda vamos fazer nessa coisa que chamam de vida, nós podemos e devemos sempre aprender com cada erros e tentar sempre ser uma pessoa melhor. 
___________________________________________________________________

6 MOMENTOS MAIS MARCANTES DE SAM WINCHESTER EM SUPERNATURAL

1. SAM VÊ JESSICA MORTA NO TETO

Como todos sabem Dean e Sam perderam a mãe em um incêndio causado pelo Azazel e desde então o John, pai dos garotos, ficou obcecado por vingança e treinou os filhos para caçarem e matarem criaturas sobrenatural.  Sam tinha 6 meses quando isso aconteceu, então meio que ele não entendia e ao contrário de Dean que na época tinha 4 anos, ele não tinha esse sede por vingança. Tanto que ele resolveu largar tudo e ir para faculdade, onde ele conheceu a Jessica e durante pouco mais de um ano, conseguiu ter uma vida normal. Isso até Dean aparecer e pedir ajuda para achar o pai. Com a promessa feita para a namorada de voltar a tempo para a entrevista na faculdade, Sam acompanha o irmão mais velho. Ele cumpre a promessa, mas quando volta não encontra a namorada com vida. Sam viu Jessica morta, do mesmo jeito que Mary morreu. Nesse momento nasceu nele a sede por vingança e ele percebeu que por mais que fuja, nunca vai conseguir fugir do negócio da família.

2. SAM CONHECE MARY (FANTASMA)

Como citado no momento anterior, Sam era um bebê quando Mary morreu e por essa razão nunca teve uma relação tão forte com a mãe, ele nem se lembrava como ela era.  Após ter uma visão de uma família em perigo na casa onde eles moravam em Lawrence, Kansas, Dean e Sam vão investigar o caso e descobrem que um dos fantasmas presentes na casa é nada mais nada menos que Mary Winchester, a mãe dos garotos. Nesse episódio Sam conheceu, viu a mãe pela primeira vez, mesmo que fosse apenas o fantasma dela. 

3. SAM ENCONTRA JOHN MORTO

Ao contrário de Dean, Sam nunca teve uma boa relação com o pai, eles viviam brigando e antes de ir embora para fazer faculdade, Sam e o pai tiveram uma briga feita. Após sofrerem um grave acidente causado por um dos demônios de Azazel, Dean fica gravemente ferido e para salvar a vida do filho mais velho, John faz um pacto com Azazel e quem acaba encontrando o pai morto é o Sam. Confesso que nunca fui fã do John, mas aquela cena do Sam trazendo o café que John pediu, vendo o pai caído no chão e correndo até ele foi marcante, triste eu não consigo achar palavras para explica-la, então vamos ver. 

4. SAM MATA MADISON

Madison foi a primeira mulher que Sam amou depois que Jessica morreu. Ela era uma lobisomem que meio que não sabia que era uma, então quando se transformava e matava as pessoas, no outro dia ela não se lembrava de nada. Ela não viu outra maneira, a não ser a sua morte. Dean se ofereceu para fazer isso, pois ele sabia que seria demais para o irmãozinho caçula, mas Sam sentia que ela era quem deveria fazer isso e com muito dor no coração, ele fez. 

5. SAM MORRE PELA PRIMEIRA VEZ

Dean e Sam morreram tantas vezes em Supernatural que tem pessoa que até já se acostumou com isso porque sabem que eles voltam. Mas a primeira morte de Sam foi um dos momentos mais tristes da série. O moreno foi morto pelas costas, ele morreu nos braços do irmão e como todos sabemos Dean sempre teve essa sensação de proteger o irmão e é claro que ele não deixaria o as coisas daquele jeito, ele precisava fazer alguma coisa e fez. Mas a cena de Sam morrendo pela primeira vez ainda é um dos momentos mais marcantes dele pra mim.

6. SAM VÊ DEAN MORRENDO VÁRIAS VEZES

A terceira temporada apesar de ter sido uma temporada curta, foi uma das temporadas mais marcantes, pois após fazer um pacto para trazer Sam de volta a vida, Dean tinha apenas um ano de vida e a temporada é focada no Sam tentando salvar o irmão mais velho. Em um dos episódios dessa temporada, Sam vive o mesmo dia, todos os dias e viu Dean morrer de todas as formas possíveis e por mais que ele tentassem, ele não conseguia salvar o irmão.


Confira o vídeo abaixo: 





Publicado por Ing Blue - quarta-feira, 11 de abril de 2018 on abril 11, 2018

Hola, personas! Yo soy Ing Blue e sejam bienvenidos ao meu blog 💙

Já faz um tempo que não apareço por aqui, né. Eu estava com saudades. 

Esses dias eu assisti o filme "Fala Sério, Mãe" e pensei: Eu preciso fazer uma resenha para o blog. Então aqui estou eu.
__________________________________________________________________


Titúlo original: Fala Séri0, Mãe!

Lançamento oficial: 2017

Duração: 1h19min

Direção: Pedro Vasconcelos

Gênero: Comédia

Nacionalidade: Brasil

Avaliação: 7.0

Sinopse: Ângela Cristina (Ingrid Guimarães), mãe da adolescente Maria de Lourdes (Larissa Manoela), precisa lidar com as dificuldades de guiar sua filha mais velha durante uma das fases mais complicadas vida. Ela vive uma montanha-russa de emoções, medos e frustrações. Por outro lado, Malu, como Maria de Lourdes prefere ser chamada, também carrega as suas insatisfações.

fonte


Opinião 



Baseado no livro de mesmo titúlo de Thalita Rebouças, "Fala Sério, Mãe" é narrado inicialmente por Ãngela Cristina que nos conta suas sensações e emoções ao nascimento de sua primeira filha. Porém isso durante por pouco tempo e em seguida é a vez de Malu contar a história.

A personagem vivida maestrosamente por Ingrid Guimarães no faz ter um misto de sensações. Sendo elas de orgulho, pela mulher forte e destemida que é, ou vergonha alheira pelo modo que ela age (sério, Ângela parecia ser mais criança do que os filhos). Mas pensando bem: Que mãe nunca fez o filho sentir uma vergonha básica,né. 

Ãngela Cristina é o tipo de mãe que qualquer pessoa desejaria. Ela é engraçada, amiga, parceira, protetetora e sempre está ali quando os filhos precisam.

Um dos momentos que mais me fez admirar essa mãe foi quando no meio da festa de 15 anos de Malu, ela acabou descobrindo que o marido a traia e mesmo com toda dor e decepção, ela tirou força sabe-se lá de onde e seguiu com a festa da filha comi se nada tivesse acontecimento, pois aquele era o momento da filha e nem a dor de ser traída pelo homem que durante anos dividiu a vida, pode estragar isso,

Diferente do que geralmente acontecem nos filmes, a separação dos pais não chegou a ser um drama para Malu e seus irmãos, pois eles já haviam percebidos que o clima entre eles já não era muito amistoso e uma separação provavelmente seria o melhor. Pelo menos foi para o pai, porque para a mãe ... Essa precisou de muito apoio e carinho da filha mais velha.

Tinha momentos no filme que juro, eu enxergava mais a Malu como mãe do que como filha, a jovem meio que amadureceu muito rápido e em alguns momentos acabou cuidando da mãe, como essa fazia quando ela era menina. 

O filme narra vários momentos engraçados entre mãe e filha, como por exemplo a parte que Ãngela Cristina entra no Ônibus que a filha e os amigos viajariam e fala na frente de todos que a garota tem gases. Se bem que parando par pensar, á alguns anos atrás, Malu fez a mãe ser conhecida como a peidorreira do elevador, então acho que elas ficaram quites. 

Entretanto além desses momentos de comédia, o filme também tem seus momentos mais sérios, como o primeiro beijo de Malu, a primeira relação sexual (que para o desespero de Ãngela Cristina, o ex marido ficou sabendo primeiro que ela) e por fim, a notícia que Malu se mudaria para o exterior para estudar.

fonte


Curiosidades


1."Fala Sério, Mãe!" foi o segundo livro de Thalita Rebouças á ganhar uma adaptação para o cinema, sendo que o primero foi o "É Fada", estrelado pela Youtuber Kéfera Buchmann (dona do canal 5incomínutos)
2. O longa marca a primeira vez que Ingrid Guimarães dá a vida a uma "mãezona" , sendo esse talvez um dos papéis mais sério de sua carreira (apesar de que sua personagem nos faz quase que morrer de rir), mas enfim, vocês entenderam,
3. No filme a personagem de Larissa Manoela namora com Nando, personagem de interpletado por João Guilherme, ex namorado da atriz.

fonte

Conclusão



Desde que Larissa Manoela começará as gravações para o filme, eu fiquei curiosa para assistir (porque sim, podem me julgar, mas eu gosto de acompanhar o trabalho da atriz) e saber que Ingrid Guimarões estaria no elenco, só me fez ter mais vontade e curiosidade ainda.

Eu realmente gostei do longa, embora não tenha lido o livro anda, acredito que os produtores e atores fizeram um bom trabalho na adaptação. 
Larissa e Ingrid me encantaram com a quimica e cúmplicidade em cena e o mais legal é que mesmo com alguns assuntos mais "pesados" (como virgindade) o filme conseguiu passar levesa e deixou tudo mais simples. A única coisa que eu senti falta foi de ver mais da relação da Ángela com os outros filhos e de Malu com os irmãos. Mas ok, eu entendo que a historia é focada só nessas duas personagens, então está valendo. 


Publicado por Ing Blue - domingo, 25 de março de 2018 on março 25, 2018

Hola, personas! Yo soy Ing Blue e sejam bienvenidos ao meu blog 💙

Hoje trago para vocês mais uma resenha, dessa vez de um filme. Trata-se de "Karla" ("Karla - Paixão Assassina" no Brasil), longa estreiado pelos atores Misha Collins (Supernatural) e Laura Prepon (Orange Is The New Black) e baseado em uma historia real. 
_____________________________________________

Titúlo original: Karla
Lançamento oficial: 2006
Duração: 1h30min
Direção: Joel Bender
Gênero: Drama, Suspense
Nacionalidade: EUA. 
Avaliação: 7.5
Sinopse: Baseado em fatos reais, apresenta a historia de Karla Homolka (Laura Prepon) e Paul Bernardo (Misha Collins), um casal que sequestrou, estuprou e assassinou três jovens á sangue frio. Uma das vitimas foi Tammy Homolka, irmã mais nova de Karla. A garota de apenas 15 anos foi sedada por Karla após essa atender un pedido de Paul, que tinha o desejo de violentar a cunhada. 






Opinião

Confesso que o meu interesse inicial em assistir o filme foi única e exclusivalente pelo ator Misha Collins e provavelmente eu teria gostado do filme mesmo se ele fosse ruim (sabe como é fã né), mas eu juro, "Karla - Paixão Assassina" é realmente um bom filme.

O longa é contado pelo ponto de vista de Karla Homolka, uma jovem que teve sua vida virada de cabeça para baixo quando conheceu Paul Bernardo, um encantador rapaz, músico e sonhador ... Paul parecia ser o Príncipe Encantado que Karla tanto sonhou. Infelizmente Príncipes não existem e o romance dos dois rendeu uma das historias de crimes mais chocantes do Canadá.

Uma das coisas que chama a atenção é o fato de Karla estar tão apaixonada (ou melhor dizendo, louca) por Paul, que foi capaz de sedar a irmã, isso mesmo que você leu, Karla sedou a própria IRMÃ para que Paul pudesse estuprar a garota. Adivinhem por quê? Paul desejava a menina e Karla tinha medo do amado deixa-la, pois ela não entregou a sua virgindade a ele. 

Paul e Karla foram presos e responderam apenas por três crimes. Um deles foi de uma jovem que Paul esquartejou e colocou pedaços de seu corpo no cimento. Sobre a morte de Tammy, a menina morreu afogada com seu vômito e Paul e Karla não responderam pelo crime.

Vale lembrar que além dos crimes cometidos enquanto estava junto com Karla, Paul era suspeito de outros estupros e ainda por cima, espancava Karla. E não, eu não estou falando que karla era uma vitma, longa disso. Embora o filme passe a impressão que Karla era só uma mulher apaixonada, a mulher era tão fria e cruel quanto Paul.
Ah, eu mensionei que Paul gostava de filmar suas vitimas? Isso foi um dos seus maiores erros.

fonte

Curiosidades

1. A ideia inicial era que o filme tivesse sua estreia em 2005 no Festival Montreal, mas Serge Losique, fundador e presidente do festival, anunciou que Karla seria retirado do festival. Motivo? Um dos principais patrocionadores do evento, a Air Canada ameaçou retirar o patrocino caso o longe fosse exibido no festival.

No entanto, em março do mesmo ano, o advogado Tim Danson, que representava as famílias que duas das vitimas de Paul e Karla, assistiram o filme em uma exibição privada e em em outubro de 2005, ele anunciou que as famílias das vitimas – que até então tentavam a todo custo boicotar o filme com a justificativa do filme explorarem as memórias das vitimass, não se oporiam a libertação do filme no Canadá. Com um comunicado feito para a imprensa, o festival defendeu sua decisão de ainda exibir o filme, alegando que muitos criminosos famosos já foram mostradas no cinema, desde Jack, o Estripador  até o Estrangulador de Boston

2. Quando  Misha Collins estava se preparando para interpletar Paul Bernardo no filme, acabou entrando tanto na pele do personagem que começou a ter pesadelos com o serial killer. O ator achou que estava com algum problema psicológico, pois ele teve que ouvir gravações de aúdios e transcrições da corte de Bernardo, além de analisar várias imagens. 

O que aconteceu com Paul e Karla da vida real?


Karla Homolka foi presa em 1993, acusada e  condenada á 12 anos de prisão pelo estupros e assassinatos de  Kristen French e Leslie Mahaffy, os crimes foram cometidos ao lado do seu então marido, Paul Bernardo. 
Em 2005 Karla separou-se de Paul e casou-se com o irmão de seu advogado. Já em 2006, após cumprir sua pena, Homolka foi solta e em 2017 foi vista no Canadá, indo buscar seus filhos na escola (onde ela, prestem atenção, é VOLUNTÁRIA e cuida de criança). 
A família das vitimas disseram que Karla nunca ligou ou demonstrou qualquer arrependimento.
Enquanto isso Paul Bernardo, embora tenha sido preso em 1993, acabou sendo julgado e condenado apenas em 1995. Bernardo foi acusado pelos estupros de 27 garotas, mais o estupro seguido de morte cometido ao lado de sua esposa, Karla. Paul foi condenado a prisão perpétua e teria direito a condicional após cumprisse 25 anos de pena, porém ele foi declarado como um "delinquente perigoso", o que significa que provavelmente, Paul nunca será libertado. 

Abaixo, uma foto de Paul e Karla na vida real:

fonte
Conclusão 

Eu realmente gostei do filme e pelo o que andei pesquisando sobre a historia real, o longa foi fiel (na medida do possível) aos fatos verdadeiros. A única coisa que não curti muito, foi que senti que o filme tentou passar para Karla a imagem de vitima, e tá, ela era espancada e ás vezes até humilhada por Paul, mas de vítima e coitada essa mulher não tinha nada.